22 de setembro de 2016 Kareemi 0Comment

O assunto de hoje é pauta mundial há um certo tempo já… Nós mulheres temos lutado pelos nossos direitos, recobrado nosso lugar na sociedade; “empoderamento feminino” é o que mais temos falado.

Mas a pergunta que eu tenho feito é:
Quando é que nós vamos boicotar a indústria da moda, gente?
Quando é que nós vamos parar de comprar produtos de fabricantes que se utilizam de “modelos do que é beleza” pra nos venderem o que eles querem?

Você, mulher, já se perguntou isso?

Por que é que consumimos de quem se associa a um padrão de beleza irreal, equivocado, preconceituoso e, inclusive cruel com a gente? Fala a verdade…

Sim, porque se esses fabricantes se apropriam desses moldes, é porque ainda eles funcionam. É porque consumimos a imagem da qual eles se apropriam e ditam. E isso tem que mudar, precisa mudar porque tem muitas mulheres morrendo em mesas de cirurgiões plásticos, de anorexia e bulimia, de medicação pra emagrecer, de depressão por falta de autoestima…muitas de nós estamos adoecendo porque o “belo  não nos pertence”, não está em nós.

O corpo perfeito, o cabelo maravilhoso, a pele jovem e lisinha estão ao alcance de todas… que puderem pagar por eles! Entende como funciona o sistema?

Se eu promovo algo como o ideal, e você acredita em mim, você vai querer o ideal pra você… e é aí que eu ganho… eu vendo isso pra você. É essa a logística do sistema, da ditadura da beleza.

Mas quando você olha fora do sistema, você acorda! Você percebe que não existe ideal… você é como é, e é ideal pra você mesma! Você não se compara à colega do lado e nem tenta parecer a modelo da capa da revista, porque você sabe que beleza é algo que a pessoa primeiro sente, é dentro, e então depois ela floresce e aparece no externo.

Mulheres que buscam esse ideal vendido só vão conseguir entender o teor do que eu digo aqui, se permitindo buscar ajuda profissional, porque a busca incansável pelo “belo e perfeito” vem de uma insatisfação muito grande consigo mesma, existe uma rejeição da própria imagem… é um círculo patológico onde o responsável é quem vende o padrão, ao mesmo tempo que quem compra o padrão é responsável pela sua permanência…

Eu nunca fui ligada à estética… vivia num efeito sanfona – resultado de uma instabilidade emocional muito grande na minha época “executiva-workaholic”- minha autoestima tava sempre em dia, alta… – e que fique a dica, mulherada: isso sim atrai olhares! A gente sempre se sente atraído por quem se gosta, não é?! – mas quando eu fiquei sem o braço eu comecei a me ligar dessa questão. Não porque eu me senti feia – que seria o óbvio no caso – mas pelo contrário…

Como eu tinha vivido um processo interno transformador e revelador, muita coisa dentro de mim desabrochou. Era um amor muito grande pela vida, pelos processos que eu estava compreendendo, então, ao contrário do que geralmente acontece, ao invés de eu me sentir feia, me ver deficiente e ter vergonha do meu novo corpo, eu acho que posso dizer que aí a beleza verdadeira floresceu em mim! E os olhares, tanto dos homens como das mulheres, se voltaram (e voltam ainda) pra mim com ar de admiração e uma certa curiosidade, claro. E aí começou a acontecer uma coisa muito bacana: Mulheres passaram a me escrever contando que passaram a se aceitar fisicamente depois de me conhecerem, porque se sentiram inspiradas por alguém que se amava como era.

Isso fez com que meu trabalho fluísse em outro formato também, para atender as mulheres nesta questão. Eu lembro que depois de uma roda de conversa com mulheres em Curitiba, uma jovem que estava com uma cirurgia plástica nos seios agendada me disse: “Depois dessa conversa eu reconheci que meus seios são perfeitos. Não preciso fazer nada com meu corpo. Vou desmarcar a cirurgia”.

Gente… que gratidão que é você ver uma mulher “acordar” e se dar conta de que é linda e perfeita como é a sua natureza!

Não se sentir bonita ao olhar no espelho tem muito mais a ver com exemplos que a sua mente, influenciada por uma indústria da beleza , toma como verdade, do que com a realidade do que é a beleza!

Beleza transcende a aparência, tem a ver com “eu me amo”, vira charme num sorriso espontâneo.

Beleza é teu “dentro” que floresce e contagia o que tá fora, aparente em você.

Autoconfiança e amor próprio, seduzem muito mais do que um corpo perfeito; o corpo pode até atrair, mas o que sustenta é como você se sente, porque o outro vai sentir o mesmo que você.

Entre as mulheres que atendo, geralmente as que mais têm intervenções cirúrgicas ou estéticas, são as mais inseguras, mesmo estando perfeitamente dentro do padrão vendido. Consequentemente elas estão sempre em relacionamentos cheios de problemas, infelizes…Por que?

Porque elas vibram na insegurança, na insatisfação e o que você vibra, você atrai.

Com isso tudo, eu acho que só conseguiremos boicotar essa ditadura da beleza, quando nós mulheres reconhecermos que cada uma de nós é bela à sua maneira, quando aceitarmos nossa natureza, nossa aparência e nos empoderarmos disso. Aí sim haverá uma enorme revolução feminina, uma virada no conceito do que é beleza mesmo, porque vai acontecer um grande passo na reconexão da mulher com a sua verdadeira sabedoria que foi perdida desde que o patriarcado resolveu dominar.

Beleza é se amar e amar a vida!

Beleza é Natureza… Beleza é Viver Com Leveza!

Para receber semanalmente e de forma gratuita o conteúdo do grupo “Viver com Leveza”, cadastre-se aqui (clique).

Este texto é uma transcrição do vídeo Mulheres e a Ditadura da Beleza, publicado no meu Canal do Youtube (clique para acessar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *